Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

A fé nas obras

Ontem numa conversa com o Allan, falamos um pouco sobre as obras. Regra geral, os protestantes acreditam que a salvação (seja lá o que isso for) é adquirida pela fé, e não pelas obras. Por outro lado, os católicos acreditam que a salvação vem pelas obras. E este é um dos pontos de maior conflito teológico entre os dois movimentos.

É interessante notar que os evangélicos, como "bons" protestantes que são, acreditam que a salvação é pela fé. No entanto, alguns deles apenas o são na teoria. Porquê? Coloca-se uma série de condições antes da conversão das pessoas. Primeiro a pessoa tem de deixar de fumar, de beber, de consumir drogas, de prostituir-se, de roubar, e em alguns casos até as mulheres têm de ter o cabelo comprido, usar saias compridas (nada de calças), e por aí vai. No fundo, é uma lista de regras (obras) que as pessoas têm de cumprir antes de se converterem ao cristianismo.

Na teoria, a salvação é pela fé. Na prática, primeiro vêm as obras, para que depois possa vir a fé. Que coisa triste. É verdade que a fé vem acompanhada de obras, mas inverter a coisa é colocar na pessoa um fardo que ninguém pode suportar. Quem é capaz de mudar a sua vida pelas suas próprias forças? Antes é necessário nos entregarmos primeiro a Cristo, e deixar que ele vá limpando a porcaria que há na nossa vida.

Você está livre do Inferno. Passe na igreja e receba a sua benção

Sempre gostei do jogo do monopólio. Não sei explicar, mas sempre gostei. E por alguma razão que não percebo bem, visto que acho ser um jogo de sorte, quase sempre ganho. Depois de tantos anos de jogar ao monopólio, e ganhar, ficou bem claro para mim que a igreja não é um jogo de monopólio.

Infelizmente nem todos chegam a essa conclusão. Estou um bocado cansado de ver pregações que seguem esta linha: "Você está a caminho do Inferno. Mas eu tenho a solução para si! Faça esta oração (normalmente chamada de oração do pecador) e receberá a vida eterna! E Deus o irá abençoar de maneiras que nem imagina!"

A vida eterna é grátis mas não é barata. Jesus morreu para que nós podéssemos ter a vida eterna, e certamente que ele deseja que nós a tenhamos. E é verdade que para a obter basta uma decisão de aceitar Cristo como Senhor das nossas vidas. Isso obviamente pressupõe que acreditamos nele e que decidimos passar a viver a nossa vida de acordo com os seus mandamentos. Mas ao tomarmos essa decisão, temos de estar cientes de que nem tudo são rosas. Seguir Jesus implica um preço. Seremos gozados, maltratados, incompreendidos, e nem sempre conseguiremos fazer a sua vontade. Por outro lado sentimos a presença e a paz de Deus connosco quando mais precisamos.

A vida eterna não é uma oração que se faz para nos livrarmos do Inferno, é antes uma decisão que se toma de nos tornarmos seguidores de Jesus, e isso implica estar disposto a pagar o preço, seja ele qual for. A vida eterna vive-se dia a dia.