Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

Um rei que nos governe

"Dá-nos um rei que nos governe, como têm todas as nações." (1 Samuel 8:5)

Com esta frase, o povo de Israel rejeitou mais uma vez Deus. Não lhes chegava ter a Deus como seu rei, queriam ter um rei terreno. Porquê? Porque queriam ser como todas as outras nações. Queriam ser iguais ao mundo.

Também hoje o povo de Deus tem dito o mesmo: Dá-nos um líder que nos governe, como têm todas as outras instituições. Pedem um mediador visível para lhes transmitir a vontade de Deus. E assim rejeitam Jesus como seu pastor, e o Espírito Santo como seu guia. É que dá menos trabalho assim, e pode-se sempre pôr as culpas no líder.

Parábola do rei construtor

Um dia um rei decidiu fazer uma cidade. Decidiu que seria a melhor cidade do mundo. As casas seriam grandes, as ruas seriam largas, haveria espaços verdes por todo o lado, zonas recreativas, transportes rápidos e baratos, lojas com produtos de qualidade a um bom preço, todo o tipo de serviços sem filas de espera. Planeou tudo muito bem, sozinho, e depois mandou construir a cidade.

Assim que concluiu a cidade, declarou aos seus súbditos o que havia feito, e convidou-os a mudarem-se para a nova cidade. No entanto ficou boquiaberto quando reparou que ninguém quis ir para lá. A cidade poderia ser maravilhosa aos olhos do rei, mas os seus súbditos não tinham feito parte do processo de planeamento da cidade, nem tão pouco no processo de edificação. E olhando para a cidade, não a viam como sua. Vendo bem, nem era aquilo que realmente desejavam, apenas era o que o rei pensava que eles desejavam.

Por isso os súbditos decidiram na maioria continuar onde estavam, perto das suas famílias, perto dos seus amigos, nos sítios que sempre conheceram e aprenderam a amar. Os poucos que foram para a cidade foram os que não tinham qualquer tipo de relacionamentos. E assim a cidade tornou-se um sítio frio e vazio, sem relacionamentos chegados entre as pessoas. E o rei nunca percebeu porquê...