Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

Underground Por Haruki Murakami

Underground, ao contrário dos outros livros do Murakami que li, não é um romance. É uma colecção de entrevistas às vítimas do atentado no metro de Tóquio com gás sarin em 1995, e aos seguidores da religião responsável pelo atentado, a Aum Shinrikyo. Através dessas entrevistas Murakami analisa os problemas da sociedade japonesa.

As entrevistas com as vítimas são bastante emotivas. É impossível ler os relatos sem começar a surgir uma espécie de revolta. Pelo sofrimento, pelas razões do atentado, pelas sequelas. E ao mesmo tempo dá para perceber a forma como a sociedade japonesa funciona, o tipo de ética de trabalho que têm, a forma como reagem uns aos outros.

Por tudo isso é um livro que vale a pena ler para quem quer perceber melhor a sociedade japonesa, ou por quem quer perceber os perigos do fanatismo religioso. É um livro que choca pela violência dos factos, mas que também nos dá uma perspectiva do que é realmente importante na nossa vida, que foi a resposta que os sobreviventes dos atentados encontraram.

Norwegian Wood por Haruki Murakami

Tenho de confessar que estou a ficar fã do Haruki Murakami. A escrita dele tem uma beleza que não é possível descrever. Neste momento já destronou Oscar Wilde como meu escritor favorito, e ainda só li 3 livros. Temos no entanto de ter em atenção que os livros dele são para adultos, ou seja, têm algumas cenas um bocado gráficas.

Neste livro ele conta a história de um jovem e dos seus relacionamentos. Aborda a sexualidade, o suicídio, e a loucura. Mas sobretudo fala do que é a vida, das suas dificuldades, dos seus sentimentos. E da inadaptação social de algumas pessoas.

Este livro faz-nos reflectir no que é a vida, na forma como a vivemos. E é também uma boa forma de perceber um pouco como é a cultura japonesa.

Kafka à Beira-mar por Haruki Murakami

Tenho que começar por dizer que Murakami tem, para mim, um estilo de escrita realmente maravilhoso. Este é o segundo livro que leio dele, e a forma como ele descreve as diferentes cenas, não me deixa de deliciar. Cheio de pormenores que nos ajudam a ter uma imagem clara daquilo que as personagens estão a sentir. Neste momento, quando critico um escritor qualquer, Murakami e o seu estilo são a minha referência. A revista "The Virginia Quarterly Review" descreveu-o assim: "facilmente acessível, mas profundamente complexo".

Kafka à Beira-mar narra a história de várias pessoas extremamente invulgares, cujas vidas acabam eventualmente por se cruzar. Um rapaz de 15 anos, e um velhote que consegue falar com os gatos. Nesta história de demanda, os eventos vão-se desenrolando de uma forma surpreendente, abrangendo não só o mundo físico como um outro mundo paralelo.

Como nota negativa, o livro contém algumas coisas que acho dispensáveis. Nomeadamente uma cena algo macabra, e meia dúzia de cenas de sexo. Mas mesmo assim, recomendo este livro, salvaguardando que não deve ser lido por pessoas facilmente impressionáveis. Para essas, sugiro que leiam antes o Sputnik meu amor, que contém apenas uma cena de sexo não muito forte.

O fim do livro é surpreendente, e algumas coisas não se percebem muito bem. Mas como um dos personagens diz, algumas coisas não são para serem compreendidas. Aceitam-se, e pronto.

Sputnik Meu Amor por Haruki Murakami

Haruki Murakami é considerado por muitos o melhor escritor japonês da actualidade. E este livro mostra bem porquê. Há muito tempo que não lia um livro tão bom, e o romance até nem é o meu estilo favorito.

Haruki Murakami tem um estilo de escrita bastante descritivo (mas não demasiado), usando expressões que me agradam muito. Nota-se bem a influência japonesa na forma como ele descreve as emoções através das estações do ano. Ele usa expressões que nos fazem sentir o momento que ele está a descrever. O que mais podemos pedir de um escritor?

Sputnik Meu Amor é uma história de amor entre duas mulheres, e a amizade entre uma delas e um homem. E mais do que isto não convém dizer, é capaz de estragar a leitura a alguém :)