Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

Produzir a nossa energia

Finalmente os governos começam a apostar nas energias renováveis, especialmente na energia eólica e solar. É bom que isso aconteça, mas não deixo de pensar que essa não é a solução ideal em termos ambientais. É sem dúvida melhor que a queima de petróleo e carvão, mas tem os seguintes defeitos:

Impacto ambiental dos parques eólicos

Os parques eólicos, apesar de produzirem energia "limpa", têm um grande impacto na população das aves. Milhares de aves morrem todos os anos ao embaterem nas hélices dos moinhos, muitas dessas pertencentes a espécies ameaçadas. Com o aumento de parques eólicos, haverá inevitavelmente um aumento de mortes.

Uso do solo por parte dos parques de painéis solares

Embora no caso da energia eólica seja possível usar o terreno para outros fins (embora com limitações), visto que o solo não é completamente coberto, no caso da energia solar já é bem diferente. Um parque de painéis solares ocupa uma extensa área de terreno, inviabilizando o seu uso, e consequentemente, a criação de habitats.

Impacto ambiental das linhas eléctricas

Num recente estudo da SPEA foram descobertos 1599 cadáveres de aves em 936 km de linhas eléctricas. As mortes foram causadas ou por electrocussão, ou por colisão, sendo a colisão responsável pela maioria das mortes. Embora a electrocussão possa ser prevenida com alguma facilidade, esse não é o caso da colisão.

A produção de energia em grandes parques significa a necessidade de uma rede de transporte dessa energia. Ou seja, mais e mais linhas eléctricas. O que implica derrube de árvores, criação de corredores dentro de habitats, e mortandade nas aves.

Produção local de energia

Qual seria então a solução ideal? A produção de energia deveria ser feita no local onde o consumidor reside. A área usada para a construção das casas seria aproveitada para a colocação de hélices eólicas (bem mais pequenas, obviamente) e painéis solares. No caso de comunidades maiores em que isso não seja possível (zonas grandemente urbanizadas, muitos prédios, etc), deveriam ser criados parques locais.

Assim, reduziríamos a área necessária para a produção de energia, assim como a necessidade de linhas eléctricas. Além disso, penso que seria bom para a economia local, criando riqueza e emprego, mais do que os grandes parques energéticos o farão. E a natureza só teria a ganhar.

Está disposto a pagar mais por energias limpas?

Esta pergunta estava na votação que se encontra na homepage do Sapo. Até agora o não está a ganhar por uma margem muito pequena.

A minha resposta é o sim, obviamente. Eu estaria disposto a pagar mais. Se surgir uma nova empresa de electricidade que só produz energia limpa, eu deixo imediatamente de ser cliente da EDP. Mesmo que pague mais na factura da electricidade.

O que as pessoas muitas vezes se esquecem, é que a energia suja (e barata) tem um preço escondido. As consequências de continuarmos a poluir o ambiente são ambientais, sociais, e mesmo económicas. Os prejuízos causados pelo aquecimento global são muito superiores ao investimento necessário nas energias limpas. Já para não falar dos problemas da dependência do petróleo.

Aplica-se aqui bem o provérbio: O barato sai caro.