Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

SHiFT 2008 - Bioinformática

Bem lá vou eu à Tugalândia novamente. Desta vez para participar na SHiFT 2008.

Se vão lá, e acharem que conseguem aguentar ouvir-me falar de DNA, de genes, e essas coisas interessantes, podem aparecer na minha palestra sobre Bioinformática. Não prometo que seja emocionante, mas para quem o tema interessa, será no mínimo interessante. Espero ter cerca de 15-20 pessoas. Pelo que pude ver, já existe uma pessoa interessada, e não sou eu :)

SHiFT 2008

O site da SHiFT 2008 já está em pé, e eu já me inscrevi. Para quem não conhece, a SHiFT é uma conferência sobre tecnologias emergentes, e o tema deste ano será "transient technologies", que jargão técnico para o papel e impacto das novas tecnologias na vida das pessoas normais. Se for tão bom como à dois anos, já vai valer a pena. Mas tenho esperanças que seja melhor.

Atenção que o site ainda não funciona muito bem. O flash com as bolinhas psicadélicas fica à frente de tudo, formulários incluídos (uma dica que talvez resolva). E o formulário de inscrição tem um bug que só permite pôr números (o que para uma conferência que se quer internacional, é mau, tem de dar para pôr algo tipo (+41) 123 456 789 ). Já agora, um formulário ou email para sugestões era bem vindo.

Processo de reconstrução

Muitos de nós estamos a atravesar um processo de reconstrução. Para que a reconstrução possa acontecer, é necessário primeiro um período de desconstrução, e para muitos de nós é essa a fase que estamos a passar. Prefiro chamar a essa fase a fase de desintoxicação. É o período em que nos limpamos de muitas das tradições sem sentidos e de hipocrisias das quais fizemos parte.

Depois de destruído tudo o que há a destruir (na nossa vida, não podemos impôr algo aos outros), começa um processo de reconstrução. Para facilitar esse processo, é necessário que o pessoal se junte. Precisamos debater estas questões, mas de uma forma a que se chegue a conclusões práticas que podem e serão aplicadas.

Eu proponho que dentro de algum tempo se faça uma conferência, encontro, algo do género, para falar acerca dessas questões. O formato que eu proponho é um formato muito mais participativo do que aquilo que temos visto.

Primeiro, como já defendi antes, deve haver um espaço para que cada um que assim deseje possa ser um dos oradores do evento. O que iriam falar seria proposto antecipadamente à organização do evento. Além disso, deveria haver um espaço para "experimentação", em que poderiam ser experimentadas na prática formas diferentes de oração, música, artes, etc.

O que acham? Gostava de ter muitas e boas sugestões a respeito de como deveria ser feito um evento deste género. Acho que é importante para que não fiquemos apenas pela desconstrução.

O que aprender com a YAPC

Este Verão a YAPC EU vai ser em Braga. Não é grande notícia para os programadores de Perl, todos já sabem que vai acontecer. E todos aqueles que estão de alguma maneira ligados ao software livre, sabem o formato que a YAPC costuma ter.

Existem várias coisas que podemos aprender com a YAPC que se devem reflectir nas conferência cristãs. Na YAPC, além dos oradores convidados, qualquer pessoa pode sugerir um tema a apresentar, e se for aceite pelos organizadores, a pessoa passará a ser um dos oradores, e terá a oportunidade de apresentar o tema. Isto é o conceito de dar importância às bases do movimento na sua essência mais pura. Ao "povo".

O que nós precisamos, entre outras coisas, é que as nossas conferências sejam um espaço em que todos têm a oportunidade de se fazer ouvir, em vez de dar oportunidade apenas a uma elite, a um conjunto de nomes sonantes. Não que esses nomes sonantes devam ser calados, antes o que eles dizem deve ser complementado pela vox populi, pela voz popular. A igreja é o conjunto de todos nós, e não somente de um grupo de elite.

Era óptimo ver uma conferência cristã em que seria criado espaço para todos partilharem aquilo que Deus tem estado a falar ao seu coração. Se calhar está na altura de criar algo assim. Se calhar é urgente criar algo assim.