Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

Cristo Revisitado por António Sérgio Pessoa

Recentemente, dia 3 de Julho, fui ao lançamento do livro Cristo Revisitado. Uma colega minha soube do acontecimento, e convidou-me. Interessei-me pelo livro, e acabei por comprá-lo, devidamente autografado pelo autor. O livro analisa a história de Jesus e da formação do cristianismo, que é um tema que sempre me interessa.

Tenho que dizer. Há muito tempo que não lia um livro tão mau. Aliás, vendo bem, acho que nunca li um livro tão mau. Por várias razões.

Primeiro, está mal escrito. Há frases mesmo mal feitas, que temos que ler duas e três vezes para perceber o significado. E não, não é por usar palavras caras, é mesmo por fraca estrutura gramatical. Basicamente, o homem não sabe escrever.

Bom, mas isso seria o menos, se ao menos o conteúdo tivesse qualquer tipo de valor. Depois de chegar à página 89 (de um total de 292), desisti de continuar a ler. É que o raciocínio não tem por onde se pegue. É claramente defensor de Cristo como um mito, mas usa muitas argumentações falsas, que qualquer pessoa conhecedora das Escrituras vê que o são.

Por exemplo, afirma que Paulo era gnóstico. Sim, o mesmo Paulo que escreveu várias epístolas a atacar o gnosticismo. Além disso usa argumentações que já foram refutadas há muitos anos, que já nenhum dos defensores de Cristo como mito usam. É mesmo muito mau. Eu gostava de ter lido coisas que me fizessem pensar "será que ele tem razão?". Mas o livro é tão fraco que em 89 páginas não houve uma única teoria que fizesse pensar. Como se não bastasse, confunde o cristianismo com o catolicismo, mas isso é comum em Portugal.

O livro é mesmo tão mau, que nem a paginação ou o layout se aproveita. As letras são muito pequenas, as margens ainda mais, e o aspecto das páginas tem mau aspecto. Se os livros da VoxGo são todos assim, têm de repensar isso.

Se tivesse de falar bem de alguma coisa deste livro, teria de dizer que a única coisa mais ou menos é o grafismo da capa, embora estragado com um símbolo enorme da VoxGo, a Editora do livro.

Em suma, não acrescenta nada. É um livro completamente irrelevante.