Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

Publicidade

QI

Disclaimer: Segue-se um momento muito pouco humilde.

Tive 132 no teste de QI. Isso significa que só 2% da população mundial tem um nível de QI igual ou superior ao meu, o que me permite fazer parte da Mensa. No entanto fiquei a 8 pontos de ser aquilo que eles consideram génios (pessoas com mais de 140). Nos meus tempos de universidade tinha 145, e normalmente o QI vai aumentando, não vai diminuindo. Parece que tenho que exercitar mais o cérebro...

Ajudar

Eu gosto de ajudar. Mas não sei bem porquê, é fácil irritar-me quando me pedem ajuda para coisas (especialmente informações) que são muito fáceis de encontrar, e que mostram que a pessoa não teve o mínimo trabalho para encontrar a solução.

Situação típica: Olha, diz-me lá se vai estar bom tempo na Suíça na próxima semana? Ou: A quanto estão os bilhetes de avião para a Suíça? Claro que não sei de cor, e tenho que ir ver. E claro que é muito fácil de encontrar a resposta. Mas é ainda mais fácil perguntar a alguém, que não deve ter mais nada que fazer do que responder a perguntas de preguiçosos.

Komodo Edit

Sempre tive uma certa luta com IDEs. Por vezes experimento alguns, mas acabo sempre por voltar exclusivamente ao Vim. Acho que finalmente encontrei um que cumpre todos os meus requisitos: O Komodo Edit.

Tem tudo aquilo que eu quero: Funciona em Mac e em Linux sem stresses (também funciona em Windows, mas já não sei o que é isso há mais de 5 anos), faz syntax highlighting e code completion em todas as linguagens que uso (Python, PHP, Perl), e permite-me aceder a ficheiros remotamente. Pronto, era tudo o que queria. Claro que continuo a usar o Vim, mas para projectos com algum tamanho um bom IDE é muito bem vindo (o meu limite são 7 terminais abertos ao mesmo tempo).

Há uma versão paga com mais funcionalidades (Subversion/CVS e debugging são as principais), mas são coisas de que não sinto falta.

Limpeza = Liberdade

O tempo é uma coisa tramada. Não estica, mas às vezes encolhe. Aqui vai uma reflexão demasiado grande sobre o tema:

Nos últimos tempos tenho feito uma limpeza em tudo o que me consome tempo. E essa limpeza tem sido feita principalmente na internet. Comecei por uma limpeza das redes sociais que usava, e fiquei com as que mencionei no post anterior. O facto de quando se pesquisa no Google por Nuno Barreto as duas primeiras páginas serem quase completamente minhas é um bom sinal de que estava a exagerar (existem outras pessoas com esse nome, uma delas um famoso velejador de Faro que ganhou uma medalha de Bronze nos jogos olímpicos). Depois disso, reduzi a utilização dessa mesmas redes sociais.

O passo seguinte foi analisar todos os feeds que seguia. Eram mais de 200, e verdade seja dita, não conseguia ter tempo para seguir nem metade. Fiquei com cerca de 80, e acho que ainda vou limpar mais. Além dos feeds há também as mailing lists, que ainda estou a ponderar o que vou fazer com elas.

Por fim, os meus blogs. Neste momento tenho 3 blogs (este, O Emigra, e o Fotos da Natureza). Ninguém precisa de 3 blogs. Ainda não sei bem o que vou fazer. Reduzir a quantidade de vezes que escrevo já o fiz, mas isso surgiu naturalmente. Afinal de contas, fez 3 anos que ando nisto dos blogs no dia 18 deste mês, e parece que uma pessoa perde assunto com o tempo, ou se não o perde, prefere partilhá-lo de outras formas.

Com tudo isto ganhei bastante tempo. Tempo para estar com quem quero, tempo para fazer aquilo que gosto de fazer, e tempo para descansar. Afinal de contas, existe vida após a internet...

Novo emprego

Para quem não sabe, dia 2 comecei a trabalhar numa nova empresa. A Virtua era fixe, mas 3 horas de transportes todos os dias já estavam a fazer mossa. Já estou velho para isso :)

Agora estou na dotBase. Bem mais perto de casa (gasto uma hora em transportes todos os dias, o que é muito bom), e muito perto do centro da cidade (estar a 5-10 minutos de tudo é muito bom). Tem as suas vantagens e desvantagens, como todas as empresas, mas tem algumas características técnicas de que estou a gostar muito:

- Servidores virtuais para cada novo projecto
- Ambientes de desenvolvimento iguais aos de produção
- Reuniões onde se fala do que se tem que falar
- Documentação técnica como deve de ser (apesar de ser chato fazê-lo)
- Sites todos feitos em divs, e nos quais os designers só mexem no CSS
- Wiki actualizada e com toda a informação relevante para configurar todo o tipo de plataformas
- Um sistema de contabilização de horas em que se insere a duração das etapas do projecto (em vez de hora de entrada e saída, que é um sistema da treta, e que bem vistas as coisas, é informação irrelevante para a gestão do projecto)
- Transparência da informação presente nas propostas aos clientes, propostas essas que são feitas em conjunto com os programadores
- Utilização de CMSs ou Frameworks conforme os requisitos do projecto (ezPublish, Joomla, symfony, django, etc)

Em resumo, está a ser uma experiência muito positiva.

Publicidade

Pág. 1/2