Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

Publicidade

Quem sou eu?

Cada vez mais me convenço de que a resposta à pergunta "Quem sou eu?" está na base das respostas a toda e qualquer outra pergunta existencial. E se calhar é aquela que é mais ignorada. Porque saber quem realmente somos custa.

Se sabemos quem somos, sabemos o que é suposto fazermos com a nossa vida. Sabemos por que e para que existimos. E deixamos de seguir as pressões da sociedade à nossa volta sobre o que devemos ou não fazer.

The rethinking process

Today I was talking with some new friends that are going through the rethinking process inside the church. They want a transparent non institutional church. They want a truer church. I share their enthusiasm, and cheer them to go deeper in their relationship with God, and I am happy that they are doing that.

But I also feel sorry for them. Sorry because I know what I have been trough, I know the price I had to pay (and still do), I know all about the rejection, the accusation, the persecution, the humiliation. I know all about being pressured by friends and family to "return to the truth". I know all about being abandoned by brothers and sisters. I have paid the price, and so will they.

I always tell them what the future has for them. I always tell them how much it will cost. But somehow, it seems they don't quite believe it. Maybe that's for the better, maybe if they really new the price, they would be discouraged from the start...

Respect

To the courageous
To the ones that won't give up
To the innovators
To the thinkers
To the questioners
To the challengers
To the pioneers
To the ones who won't settle for less
To all of them my deep respect

For they will be despised
persecuted
accused
insulted
humiliated
but they won't give up

A prática leva à teoria

Um amigo meu conta uma história em que ele falava com uma pessoa que não acreditava que existiam sem abrigos numa cidade. E por muito que lhe dissessem, não acreditava, nem se interessava. Um dia levaram-no a um sítio onde alimentavam sem abrigos, e ele pôde vê-los, saber o seu nome, falar com eles, saber porque estavam nessa situação e o que era passar por isso. A partir daí não foi preciso mais dizer (teoria), pois ele tinha experimentado (prática), e essa experiência tinha-o levado a ter uma atitude completamente diferente sobre a situação.

Por isso, se queremos, por exemplo, ter uma maior preocupação pelos sem abrigo, não é com discursos que vamos lá. O primeiro passo, é ir e ajudar no que pudermos. Ao depararmos com a sua realidade, a nossa forma de pensar vai sem dúvida ser afectada.

É a prática que leva à teoria, e não a teoria que leva à prática.

Connect Portugal 2007

AdoraçãoEste fim de semana tive o prazer de estar com pessoal que pensa como eu no Connect Portugal. Pessoal que vê a igreja de Cristo com novos olhos, e que não está só num atitude crítica, tipo os velhotes dos marretas, mas que está a arriscar o pescoço, que está a fazer a igreja acontecer em Portugal, apesar de toda a oposição.

Aprendemos muita coisa por lá, sobre as quais falarei em próximos artigos (A necessidade da prática, a necessidade de sabermos quem somos, de onde vem a determinação, para que servem os dons neste novo contexto, etc). Mas mais do que isso, o que trouxe do Connect foram os relacionamentos que criámos. Pessoas com quem partilhamos as nossas feridas, que nos apoiaram, que riram connosco, que choraram connosco, que oraram por nós. Tudo o resto passará, mas esse amor e essa fé persistirão para sempre.

Também foi muito bom estar de novo com a Bárbara, e finalmente conhecer o Nuno César, a quem só conhecia virtualmente, e que foi quem organizou isto tudo.

Pode não ser muito, mas é um começo. E um começo é como uma semente. À primeira vista pode não parecer nada, mas tem nela todo o poder de se tornar numa enorme árvore.

update: Já podem ver as fotos do Connect Portugal 2007.

Adegga

Finalmente foi oficialmente lançado o Adegga, um projecto do André (e de outros também).

O Adegga é um site sobre vinhos, mas principalmente sobre as pessoas que se interessam por vinhos. Lá podemos adicionar os vinhos que temos, os vinhos que já provámos, so que gostamos, os que nem por isso; e também podemos encontrar novos vinhos, vinhos que outros gostaram, quanto custam, onde podemos comprá-los, etc.

Já sou utilizador do adegga desde Junho, e tem sido com prazer que tenho visto o site evoluir como evoluiu, até chegarmos ao momento em que estamos agora: pronto para entrar em produção. Sei que ainda melhorará muito. Desejo o maior sucesso para o projecto, e sei que tem valor para continuar a crescer.

Sigam o seu desenvolvimento no blog do Adegga.

Publicidade

Pág. 1/2