Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

The Astonished Heart by Robert Farrar Capon

Tha Astonished Heart is a critical analysis of the history of the church, and a very profetic one. The author explores the goods and bads of all the phases of the history of the church in terms of religiosity, institutionalism, and catholicity (universality), giving a very good perspective of what really matters in the end.

What I really liked about this book is that it gives you a very good insight and a new perspective of how the church developed through the ages, and what were the consequences of those changes. It really opened my eyes for a lot of new thinking.

In the end, the analysis focus on the models of church we have in our days, the good and bad they have, and other models that the church is not adopting yet (or better, was not adopting in 1995, when the book was written). And then it finishes with hope that we recover the astonishing ability of the gospel.

In the end, this was a very good book, and a very easy one to read. I love when theology is explained with a sense of humor.

Deus tem grandes coisas para ti...

Estou um bocado cansado desta frase. É um dos chavões que é lançado ao ar sem se pensar se é verdade ou não. Suspeito que tenha origem nas modernas doutrinas da prosperidade. Na minha opinião, a frase não tem qualquer fundamento bíblico. E se Deus não tiver grandes coisas para mim? Porque não podem ser pequenas? Temos de ser todos grandes? Qual é o mal se tiver pequenas coisas para mim? Tenho menos valor por causa disso?

Depois vêm logo as respostas: Olha a vida de Moisés, Abraão, ou de David. Eles não eram nada, mas Deus tinha grandes planos para eles. OK, isso até é verdade. Mas e os outros milhões que exisitiram na altura de Moisés e de David? A verdade é que Moisés só havia um, para os outros não havia nenhuma expectativa de serem como Moisés. E por outro lado, se o povo judeu chegou onde chegou, não foi só por causa de Moisés, mas de todas as pessoas que compunham o povo, os que estavam em grande plano, e os que não estavam.

O problema deste tipo de bufas teológicas, é que são criadas falsas expectativas na mente das pessoas, e ainda por cima damos a imagem que a pessoa só tem valor se for como Moisés, ou David, ou outro da família deles.

Deus ama toda a criação (incluíndo animais, plantas, e até calhaus), e isso é suficiente para todos termos valor. Ninguém é menos que o outro só porque os planos de Deus para ele são diferentes dos planos para o outro. Temos de acabar de uma vez por todas com essa ilusão de que só algumas tarefas são importantes. No fim, tudo contribui para o reino de Deus.

Almost a photoblog

The english version of this blog is almost turning into a nature photoblog, I apologize for that. Looking at the last posts, most of them are of photos. Actually I do have a nature photoblog: Fotos da Natureza.

Soon I'll be paying more atention to the english version of the blog, specially in the church section, but I'm not ready to talk about that yet. Stay tunned :)

Grutas de Mira d'Aire

Este fim de semana tive a oportunidade de visitar duas grutas na zona de Mira d'Aire. Não a mais conhecida, mas a Gruta de Santo António e a Gruta de Alvados. Já tinha visitado antes a de Mira d'Aire, há muitos anos atrás, e não me lembro muito bem dela. Mas lembro-me o suficiente para afirmar que a que gosto mais é sem dúvida a Gruta de Santo António. É que as outras já têm muitos elementos artificiais. São os repuxos, as luzes coloridas, e outros artifícios para disfarçar a falta de beleza natural (apesar de todas elas serem belas). Mas a Gruta de Santo António vale por si só, sem aparato. Cabe-lhes bem o subtítulo de "As mais belas de Portugal".

Gruta de AlvadosGruta de Santo António

As mulheres e a tecnologia

O tema do mês no PlanetGeek é "As mulheres e a tecnologia". E como faço parte do PlanetGeek, parece ser de bom tom também fazer um artigo.

Pensei fazer uma dissertação sobre o tema, mas parece-me que é isso que todos vão fazer (porque é que são compatíveis, porque é que não são, essas coisas que estamos sempre a ouvir). Pensei em falar sobre o tema ter sido escolhido para aumentar as visitas ao PlanetGeek (devem haver muitos geeks tarados a procurar as palavras mulheres e tecnologia), mas pareceu-me uma fuga do tema. Por isso decidi dar exemplos de mulheres que eu conheço que usam tecnologia. Afinal, é delas que se trata.

A Paula é a minha estimada esposa, e uma grande utilizadora de tecnologia. Educadora Social de profissão, não vem de nenhuma área tecnológica. Antes de eu ter ficado esperto o suficiente para trocar o Linux pelo Mac, consegui inclusive fazer com que ela usasse Linux. E isto há uns 5 anos atrás. Estamos a falar de Gentoo, um Linux à séria, não é cá ubuntus e essas cenas pipis. Tem um blog, fotografa e põe as fotos no flickr, e não usa hi5 e coisas dessas porque não está para isso. Afinal, ela é uma mulher que sabe escolher (como fica provado pelo facto de ter casado comigo). E como não podia deixar de ser, tem um Mac, um telemóvel e bate qualquer um ao ténis na Nintendo Wii.

A Eunice, pintora e ilustradora infantil, também não fica muito atrás. Tem uma carrada de blogs. É o blog pessoal, o blog do cão, o blog das cenas lindas que ela faz, o site de venda das mesmas cenas, enfim. Acho que já está viciada nos blogs. Além disso usa um Mac (claro), telemóvel, e já sabe as respostas todas no Buzz para a Playstation 2.

A Batixa já é das áreas mais tecnológicas, se bem que mais orientada para a mecânica. Também tem um blog pessoal, e tira umas fotos muito fixes. Telemóvel nem é preciso dizer, e tem o bom gosto de jogar Wii. Já do tipo de computador que usa não posso dizer o mesmo (Não é um Mac).

Por fim, a Teresa é minha colega no Sapo, e é programadora de PHP. Tem um Mac, gosta da Wii, tem um blog, e mais geek do que ela não deve haver.

Enfim. Nisto das mulheres e da tecnologia, o que importa não é se elas são aptas ou não. Todos somos. O que importa é que tecnologias é que fazem sentido para o seu dia a dia. Porque no fundo, a tecnologia serve para ajudar a nossa vida. Os interesses que temos é que variam...

Pág. 2/2