Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

Publicidade

Expresso

Hoje levantei-me para ir comprar o Expresso, visto que hoje começam a distribuir uma colecção da Bíblia, e aos dois sítios que fui o jornal estava esgotado. Não pela Bíblia, pela qual se tem de pagar 6 euros, mas pelos DVDs que vêm grátis com o jornal. Pelo que disseram nas duas lojas, tinham mais encomendas do que os jornais que recebiam.

Acho vergonhoso que um jornal admita a sua falta de qualidade de uma forma tão clara. Mal começam a ter concorrência, e começam logo a usar-se de truques para vender jornais.

SHiFT 2006: Como foi

Vou fazer uma afirmação, apesar de saber já de antemão que muitos não vão concordar comigo: Foi sem dúvida a conferência mais interessante a que alguma vez fui. A maioria das palestras a que assisti eram pertinentes para a realidade actual, importantes para a forma como a tecnologia vai evoluir, e acima de tudo provocadoras de pensamento.

Mas contar a história da SHiFT 2006 é contar a história de uma conferência para a qual Portugal não estava preparado. É contar a história de uma país onde a inovação é sinónimo de copiar o que é feito lá fora. É contar a história de pessoas que programam para um mercado que não querem compreender.

No fundo, é contar uma história triste, por isso prefiro não contá-la já. Mais tarde falarei de alguns temas que considero interessantes.

Evangelismo relacional

Apesar de a igreja institucional gastar imenso tempo e dinheiro na evangelização das massas, a grande maioria das pessoas que se convertem a Cristo conheciam alguém (familiar, amigo, colega) que já era cristão. É muito raro encontrar alguém que se converteu sem ter sido como resultado de um relacionamento com uma pessoa cristã. Eu só conheço um.

Não digo que a igreja só deve evangelizar através dos relacionamentos, mas parece-me que é gasta demasiada energia no evangelismo de massas, enquanto que os relacionamentos são negligenciados. Pouco se investe para que os cristãos amadureçam ao ponto de serem sal e luz junto das pessoas que conhecem. Esperamos alcançar pessoas com palavras, e não com vidas.

Quando formos o que Cristo quer de nós, as pessoas à nossa volta vão querer ter aquilo que temos.

Ênfase exagerada no evangelismo

Tenho visto vários líderes caierem no erro de dar prioridade absoluta ao evangelismo, caindo até no extremo de dizer que tudo na igreja deve girar à volta do evangelismo.

Mas não nos esqueçamos que o evangelismo é muito mais acerca do que nós somos do que o que dizemos. E se as outras áreas não forem incentivadas (ensino, comunhão, acção social, etc), não seremos aquilo que é necessário para sermos sal e luz à nossa volta.

A vida exemplar de um cristão maduro fala mais do que mil pregações evangelísticas.

The Church Can't Raise Your Kids

John Alan Turner just wrote an excelent article called The Church Can’t Raise Your Kids. It is so true. It's not the church that is responsible to raise your children, it's you.

It makes me think of those that are tired of the institution, but stay there because of sunday school. Their reason is that if they start meeting in homes, their kids will not be properly raised because there will be no sunday school. In my eyes, that's a weird reason.

À procura do IDE perfeito

Hoje e ontem gastei umas quanta horas em busca do IDE perfeito para Linux. Perfeito para mim, claro está. Não o encontrei. O IDE perfeito, para mim, é assim:

- Tem de ser visual, ou seja, um verdadeiro IDE (Tipo Eclipse).
- Tem de dar para várias linguagens, principalmente Python, PHP, Perl e Java, e ainda XML, HTML e JavaScript.
- Tem de ter autocomplete de tudo e mais alguma coisa (Tipo SPE).
- Tem de mostrar os erros dinâmicamente.
- Tem de ter suporte CVS e Subversion.
- Tem de fechar automáticamente as tags em HTML e XML.
- Tem de ter cenas pipis, tipo mostrar os blocos de código (o Anjuta é o exemplo perfeito disso).
- Tem de permitir criar projectos nas várias linguagens.
- Tem de ter ferramentas de debug.
- Tem de correr os scripts e mostrar o resultado.
- Tem que ser rápido, ou seja, não me fazer esperar (com esta é que o Eclipse se eclipsou).

O que estou a usar? Bem, prescindi de muitas destas facilidades, e acabei por ficar pelo Anjuta. Deve ser perfeito para programadores de C. Se lhe acrescentassem a gestão projectos em outras linguagens, juntamente com debug e execução de scripts, acho que seria o IDE perfeito.

update: Entretanto dei outra oportunidade ao Eclipse. Mas analisando o sistema, só estou a usar 40% da memória. E o processador nunca atinge os 100%.Tendo em conta isso, não parece que a lentidão seja da máquina.

Publicidade

Pág. 1/3