Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

Publicidade

Inveja

Fico triste quando vejo pessoas que só ficam felizes com a infelicidade dos outros. Pessoas que sentem inveja, e que só estão bem quando sentem que estão melhor do que os outros ou que têm mais do que os outros.

Uma pessoa invejosa é uma pessoa sem liberdade, sem alvos, sem objectivos próprios. O único objectivo é ter e ser mais do que o vizinho. Essa pessoa não é livre, pois toda a sua vida depende da vida dos outros. Do que os outros são, do que os outros têm. E além disso são pessoas que nunca serão verdadeiramente felizes, porque haverá sempre alguém que será/terá mais do que elas.

É preciso ter cuidado com a nossa atitude em relação à felicidade dos outros. Se o teu irmão está feliz com algo, alegra-te com ele. Se está triste, partilha da sua tristeza. A verdadeira amizade está aí.

Speed Tribes by Karl Taro Greenfeld

This is a history book on Japan, but an old one, from 1994, so misses the point on speaking about the Japan of today. It's also a very criticized book, mainly because "it gives you the wrong idea on how the japanese people are". But the author starts saying that this is the underground Japan, and that he didn't knew that part of Japan until he started looking for it, so I think the book is fair.

As a person interested in knowing the most about Japan, and since I know most of the general part of Japan history by now, this was a great way to get to know a small part of japanese culture. Several subcultures, to be exact. And I guess the author did a good job in discribing it, it felt credible. It's also written in a story-like way, so that it doesn't get boring.

If you want to know the underground subcultures of Japan, this is a great place to start. And you know, you end up getting a lot of knowledge about the general culture in the context, so, it's also a nice book to learn sometime about the japanese real culture.

The Celtic Way of Evangelism by Geroge G. Hunter III

I saw this book first in some emergent weblog, and that got me interested in it. So, recently, I amazoned it, and finished reading it on my extended 3 week vacations (Yes, I'm the lucky one).

I'll start by saying that the book ia a good one to read, worth the money, etc. His point is that the celtic way of evangelism is the best way to reach the postmodern culture of today. And I would kind of agree with it, since celtic christians were cool guys that I would like to hang around with. But maybe what should be said is that Hunter's interpretation of celtic christianity way of evangelism is probably the best way to reach them.

Some of the things he says gets you thinking how he could know that the celts did it that way. It gets you the feeling that Hunter has an idea of how evangelism should be done in our days, and then goes on showing (or demanding) that the celtic christians did it the same way. But thats just a small part of it.

Most of it is in solid foundation, and describes lots of greart ideas and concepts to evangelize the people of our days. And the best thing, there is theory, but there is also practice. The best book on evangelism I read this year (but then, it was the only one).

Envolvimento

Ontem falava com um amigo meu sobre a igreja onde ele está inserido. Essa igreja em particular é uma igreja que no passado recente fez a mudança para um igreja em células/grupos familiares.

A conversa chegou ao tema do envolvimento das pessoas na igreja. Perguntei-lhe se notava mais envolvimento das pessoas na igreja, e ele disse que sim. Perguntei-lhe se esse aumento de envolvimento era na igreja-instituição ou na igreja-pessoas (relacionamentos), e ele disse que era claramente na instituição.

Na minha opinião, é triste que isso tenha acontecido. É triste que a única diferença notada seja no envolvimento na maquinaria da instituição. É que no fundo, as pessoas estão mais sobrecarregadas de trabalho, sem que se veja quaisquer frutos disso.

É bom que nos lembremos do seguinte: Mais actividade não implica mais fruto. Não é por aumentarmos o número de actividades numa igreja que passaremos a ter mais relacionamentos, mais pessoas a seguirem Jesus, mais pessoas a crescerem espiritualmente. Não é só o que se faz, mas principalmente a forma como se faz.

Fotografia

Com tantos posts de fotografia o pessoal deve estar a ficar com receio que isto se torne um blog de fotografia. Não se assustem, isso não vai acontecer, são só as consequências de ter uma máquina nova.

Mas se calhar vou criar uma categoria de fotografia. Acho que começa a ter lógica. Também estou a pensar criar uma galeria de fotos. Visto que dia 10 fico de férias, pode ser que tenha tempo (ou queira ter tempo) para fazer isso. Há várias coisas que queria mudar por aqui.

Jardim Zoológico de Lisboa

No dia 31 fui ao Zoo de Lisboa, coisa que não fazia há uns 10 anos, e fiquei com vontade de voltar lá em breve. É realmente um sítio espectacular. Principalmente agora que a maioria dos animais está sem jaulas. Passei lá o dia todo e não vi tudo.

Ainda não coloquei as fotos todas no flickr, mas aqui ficam algumas fotos (irei acrescentar mais com o tempo):

SuricataSaguim-cabeça-de-algodão
Mico-leão-de-juba-douradaDamalisco
GrifoAligátor
Tucano-de-peito-brancoTucano-de-peito-branco
Devo ter comido alguma coisa estragada...Que soneira!
Lório-arco-íris (Trichoglossus haematodus moluccanus)Coruja-das-neves (Nyctea scandiaca)
Águia-rabota (Terathopius ecaudatus)Arara-azul-e-amarela (Ara ararauna)
Caracará (Polyborus plancus)Bufo-de-bengala (Bubo bubo bengalensis)
Bufo-de-bengala (Bubo bubo bengalensis)Bufo-de-bengala (Bubo bubo bengalensis)
Bufo-de-bengala (Bubo bubo bengalensis)

Construir algo novo

Estes últimos tempos têm sido desgastantes. Muitas mudanças na minha vida e na das pessoas à minha volta. Este fim de semana houve um ciclo que se fechou, os 4 canadianos que estavam aqui a ajudar o Movimento Vida Nova voltaram para a terra deles, e já estamos com saudades. Eles eram parte importante do nosso grupo principal, e vão-nos fazer muita falta. Teremos que ir matando as saudades pela internet.

Neste momento estamos a investr no relacionamento com várias pessoas. Umas desencantadas com a igreja, outras sem um relacionamento com Deus. E daí creio que surgirá uma igreja. Porque a igreja deve começar pelos relacionamentos. Eu sou igreja com outros porque temos um relacionamento de amizade, eu não faço uma igreja para ter amigos. Criar primeiro uma "igreja" e só depois relacionamentos é pôr a carroça à frente dos bois.

Dia 6/6/6

Hoje está meio mundo assustado com o dia do demo. Sempre que aparece uma data significativa acontece isto. Para mim, é uma oportunidade de falar de Cristo.

Publicidade

Pág. 1/2