Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

E quando o líder não está?

Uma das formas de medir a vitalidade de uma comunidade, é ver o que acontece quando o líder se ausenta. Uma comunidade verdadeira continua a agir e a avançar mesmo quando o líder se ausenta, ao passo que uma comunidade dependente do líder hiberna durante a sua ausência, fazendo o mínimo necessário para a subsitência da comunidade.

O líder tem o papel de motivar as pessoas a desenvolverem e praticarem os seus dons. O principal papel do líder não é mandar fazer, é mostrar como se faz e motivar outros a fazê-lo. Se as pessoas estão dependentes do líder, o principal culpado é ele próprio, pois cabe a ele inverter a situação.

Fotos tiradas no Algarve

Este fim de semana estivemos outra vez no Algarve, para mostrar alguns dos melhores sítios a uns amigos estrangeiros, e acabei por tirar duas fotos interessantes. Fotografei a lua (nada de especial, devem existir milhares de fotos melhores que a minha, mas foi a primeira vez que fiz e por isso deu-me gozo), e fotografei um Mergulhão-de-poupa (coisa que nunca tinha conseguido fazer). Fica aqui o registo.

LuaMergulhão-de-crista (Podiceps cristatus)

Resultados de ter uma foto no topo do flickr interestingness

- Durante uns breves segundos senti um bocado de orgulho, e depois desmanchei-me a rir.
- Em pouco tempo a foto teve mais de 500 pessoas a irem vê-la.
- Recebi mais comentários do que o normal.
- Fui acusado de estar viciado no flickr, e que já não ligava a uma determinada pessoa (puro exagero feminino).
- Mais algumas pessoas colocaram a foto como favorita (isto é interessante, ou seja, a partir do momento que estamos no top, o fosso entre nós e os outros aumenta ainda mais).
- Nem uma pessoa veio ter ao blog por causa disto, apesar de o link estar no meu profile.
- Arranjei bué assunto para o meu blog.
- Não ganhei nem fama nem fortuna. A fama nem me interessava, mas quem não quer fortuna?
- Por incrível que pareça, o facto de mais de 500 pessoas terem ido ver a foto não se reflectiu nas outras fotos. Ou seja, ao contrário do que eu pensaria, a grande maioria foi ver somente essa foto, e nem teve curiosidade de ver que outra fotos eu tenho.
- As pessoas gostam de fotos de pássaros coloridos, mesmo que a foto esteja mal enquadrada e que o pássaro seja o mais fácil de encontrar em qualquer parque e também o mais fácil de fotografar.
- OK, o pato real é ainda mais fácil de encontrar e fotografar que o pavão, mas perceberam o que eu quis dizer.

Como chegar ao topo no flickr interestingness

Ao que parece isto é algo que o pessoal quer saber, por isso vou descrever o que é necessário:

1- Uma máquina fotográfica (isto é essencial)
2- Um mínimo de noções de fotografia (isto não é essencial, como se prova pelo facto de eu ter conseguido)
3- Uma conta no flickr
4- Fazer-se membro de vários grupos (Por exemplo, o dos utilizadores da mesma máquina fotográfica, os dos temas das fotos, os de crítica fotográfica (MUITO IMPORTANTE), e os que nos der na telha).
5- Colocar várias fotos no flickr
6- Adicionar as nossas fotos aos grupos que tenham a haver
7- Adicionar várias tags às nossas fotos (não só as óbvias, mas por exemplo as cores dominantes da foto)
8- Procurar fotos interessantes de outras pessoas, e marcá-las como favoritas
9- Comentar fotos com alguma frequência
10- Adicionar as pessoas que têm fotos interessantes aos contactos
11- Adicionar pessoas que costumam comentar muito aos contactos

Bom, e para que é que serve ficar no topo? Bem, na realidade não serve para nada, mas algumas pessoas sentem-se realizadas. Ou na pior das hipóteses, dá sempre assunto para posts no blog. Vejam lá quantos já coloquei à conta disso...

Por outro lado, para quem é fotógrafo profissional (ou aspirante a) pode ser bom, torna o seu trabalho mais conhecido. Eu acho que as probabilidades de conseguir vender fotos através disto são um bocado remotas, mas não custa tentar.

Além disso, é bom notar que a maioria das pessoas que acabam por fazer com que as nossas fotos se tornem "interessantes" não são pessoas entendidas em fotografia. Logo, é muito natural aparecerem fotos normais no top, como se prova com as minhas.

Duas formas de decisão

Numa comunidade há duas formas de decidir as coisas.

A primeira, é quando o líder (ou equipe de liderança) decide o que se vai fazer, e depois comunica aos outros membros o que decidiu, pedindo a opinião do resto da comunidade. Mas independentemente do que as pessoas acharem, o seu papel principal será de defender a sua posição e convencer as pessoas de que é a melhor coisa a fazer. O resultado disso é a comunidade tornar-se amorfa, não participativa, deixando tudo a cargo do líder.

A segunda forma é quando tudo o que é decidido vem de todos, e não de uma equipa de liderança. As ideias são lançadas, mas a forma como vão ser implementadas e se vão ser implementadas é decidida por todos. O projecto só avança se for algo que todos desejam, e a forma como será desenvolvido partirá de todos, e será feito por todos. O resultado disso é uma comunidade participativa e motivada, onde os relacionamentos se mantêm fortes e saudáveis.

Sem dúvida que a segunda forma é muito mais fácil de fazer quando a comunidade é pequena. Para comunidades grandes algo diferente terá de ser feito, mas em comunidades pequenas não há razão para não usar a segunda forma.

Shalom

Ontem falávamos sobre Shalom, a palavra hebraica para paz, que tem um significado mais complexo. Significa também plenitude, quando ninguém deve nada a ninguém.

Para que haja Shalom, é necessário que as pessoas se considerem como iguais. Coisas como discriminação e hierarquização, que fazem com que umas pessoas se considerem superiores a outras, estraga qualquer possibilidade de existência de paz no nosso meio. Além disso, para que a pa seja atingida, além de ser necessário que as pessoas se considerarem ao mesmo nível, é necessário que haja diálogo. É necessário haver abertura de todas as pessoas para discutiras suas diferenças.

A paz deve reinar no seio da igreja, e isso alcança-se através do respeito mútuo e do diálogo.