Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

Os escribas, os fariseus, e nós

Jesus criticou muitas vezes os religiosos da altura dele por várias razões, mas principalmente por várias formas de hipocrisia que eles demonstravam. No exterior aparentavam grande religiosidade, mas ficavam por aí.

Aprendi com o Fernando Almeida há uns tempos que os religiosos de hoje somos nós, os cristãos, e que devemos prestar especial atenção ao que Jesus diz aos escribas e fariseus, porque pode bem ser que se aplique a cada um de nós...

O que é uma igreja simples?

Isso é fácil de responder no geral, difícil de responder no concreto, e ainda mais difícil quando tentamos praticar.

Igreja simples é o que obtemos quando nos livramos de tudo o que tem sido adicionado ao longo de dois mil anos de igreja, tudo o que não é necessário. Tradições, normas, práticas que vão além do que está nas Escrituras, e do retrato mais próximo que temos da igreja simples, que é a igreja do primeiro século. Igreja simples é o que fica depois de reter apenas o essencial, o importante, e depois de nos libertarmos do acessório, de tudo o que cria entropia no relacionamento com Deus e com os outros.

Eu espero que este blog seja uma resposta a essa pergunta. Não uma reposta final e imediata, mas uma resposta que todos nós vamos construíndo ao longo do tempo, tema a tema. E tendo a humildade de reconhecer que existem mais coisas a mudar do que aquelas que seremos capazes de ver.

Uma resposta parcial à pergunta, seria que a igreja simples é uma comunidade de discípulos de Jesus, que procuram viver o amor a Deus e ao próximo.

Jesus pregava de chinelos e sem gravata

"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque limpais o exterior do copo e do prato, mas estes, por dentro, estão cheios de rapina e intemperança! Fariseu cego, limpa primeiro o interior do copo, para que também o seu exterior fique limpo! Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que, por fora, se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia! Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas, por dentro, estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade." (Mateus 23:25-28)

Quando Jesus veio à terra, a religião tinha-se tornado num jogo de aparências, em que as pessoas importavam-se com o aspecto exterior de santidade, mas por dentro era só porcaria. O que interessa não é a forma de vestir de uma pessoa, mas o seu coração. A forma como vamos vestidos à igreja é importante?

Parecendo que não, esta pergunta depende do que entendemos por igreja. Se entendemos por igreja sempre que os discípulos de Cristo se juntam, então ir à praia com o pessoal é ser igreja, e será ridículo ir de fato e gravata numa situação dessas. Por outro lado, se entendemos por igreja uma missa/culto semanal onde vamos, aí talvez faça sentido seguir as "regras da casa", no sentido de não escandalizar quem lá vive.

Mas a igreja é uma família. Que esquisito seria eu chegar a casa do meu pai, e ele dizer: Vai lá tirar os chinelos e pôr uns sapatos decentes! Não te quero aqui assim! Seria ridículo. No entanto certamente ele ficaria triste se eu não tivesse um sentimento próximo com ele ou com os meus irmãos. E ficaria sem dúvida triste se eu colocasse condições de vestuário aos meus irmãos para estar com eles.

Isso de gravatas e de protocolos, são coisas para pessoas que não têm relacionamentos entre si.

Mudanças de pensamento

Tenho pensado muito naquele artigo do Ross de que já tinha falado aqui, e posso dizer que é das coisas que mais tem provocado mudança na minha vida recentemente. Há muito tempo que não tinha uma revolução tão grande na minha forma de pensar, talvez desde que tive contacto com o movimento emergente.

Hoje ele escreveu outro artigo que está dentro do tema. A ideia é que aquilo que dizemos e fazemos deve ser algo que seríamos capazes de orar. O aprender que, aos estarmos constantemente na presença de Deus, tudo o que dizemos e fazemos é como uma oração contínua perante Deus.

Quando penso nisso só posso sentir temor e admiração perante este Deus que é tão chegado e misericordioso. Não somos dignos dele, mas ainda assim ele habita dentro de nós. Uau!

Vox populis

No sentido de tornar este blog mais interactivo, gostava que fossem feitas sugestões de temas para os próximos artigos. Não temam, não é que eu esteja a ficar sem assunto, é mesmo porque quero que isto seja mais uma conversa do que um ditado. Por isso, por favor, façam sugestões. Não precisa ser algo de que tenham dúvidas, desde que gostassem de ver a coisa discutida. Pode ser simplesmente um tema, ou pode ser na forma de pergunta, do tipo: Qual é o efeito que o comprimento médio da gravata do pastor tem na prática do cristão que vai à igreja uma vez por mês?

Criticar q.b

Bom, criticar o que está mal faz parte do processo revolucionário, mas para realmente melhorar as coisas é necessário mostrar alternativas positivas. Por isso, e porque olhando por alto para os meu artigos notei que a maioria dos artigos são críticas, vou procurar equilibrar esse aspecto. Principalmente porque por vezes tenho-me esquecido de mostrar a alternativa positiva. Qual a vossa opinião acerca disso? Acham que estou a fazer uma avaliação correcta do meu blog?

Pág. 10/10