Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Simplice

A vida é simples

Simplice

A vida é simples

Dia 3: Viagem ao mundo da fantasia

Uma das coisas que queria fazer no Japão era ir ao museu Ghibli. Por isso, apanhamos o comboio até Mitaka, onde o museu está situado.

O museu Ghibli é um museu dedicado aos filmes de animação produzidos pelo estúdio Ghibli, ou seja, os filmes do Hayao Miyazaki (Viagem de Chihiro, Princesa Mononoke, O Castelo Andante, etc). O museu foi feito para parecer um cenário de um desses filmes. No seu interior encontramos vários pormenores e objectos dos filmes de animação. Infelizmente não se pode fotografar no interior, mas o exterior já é suficientemente fantástico.



Alguns dos pontos altos do museu é a sala de cinema, onde são projectadas curtas metragens que não se podem ver em mais lado nenhum, quase todas elas baseadas nas personagens dos filmes que fizerem, e a estátua do robot do filme "Castle in the Sky" que se encontra no tecto do edifício.



Adorei tudo neste museu. Cada sala é uma nova descoberta, até as casas de banho valem a pena serem vistas com mais atenção. Gostei bastante do bilhete para filme, que são 3 frames de um filme a sério. Enfim, tantos pequenos detalhes que é difícil explicar.

Podem ver algumas fotos do interior no site do museu ghibli, e informação mais detalhada nesta descrição feita por outro visitante.

Já agora, uma dica. O melhor sushi que comi no Japão vende-se numa lojinha que há na estação de comboio de Mitaka. Uma que fica logo junto a uma das entradas da estação.

Depois fomos para a estação de Tokyo, passear na zona do palácio imperial. O palácio só está aberto no dia de aniversário do imperador e no ano novo, o que não era o caso. Mas a zona circundante é bastante bonita.



Depois fomos na direcção do mercado de peixe de Tokyo (infelizmente não tivemos oportunidade de o visitar, dizem que vale a pena), para visitarmos o jardim HamaRikyu. É um jardim muito bonito, com vários lagos, uma casa de chá, e várias áreas de jardim muito interessantes.



Na volta para o comboio, tivemos a oportunidade de passar por mais uma zona de arranha céus, com várias pontes que se cruzavam (para comboio, pessoas, auto-estrada), uma visão impressionante.



Foi um dia bem cheio, mas o melhor foi mesmo a visita ao museu Ghibli, para mim um dos pontos mais altos da viagem.

6 comentários

Comentar post